Meus livros!

10 julho 2009

A lembrança


Não houve depois
Só um agora
Não houve passado, nem futuro
Foi presente.
Ah, nós dois!
Por tempos eu lhe amei
Mas você esteve ausente

E me vi com os olhos marejados
a espera incansável
inconciliável
Algo que não aprendi a definir
Algo que não pude suprimir
Em mim permaneceu
Sentimento cultivado
culto...
arraigado.

E senti a lembrança intensamente
incidentemente
Ao longo do tempo
assaz persistente

Ao comprimir meus olhos
transformava-se o instante
e a imagem que eu tentava apagar
era cada vez mais constante

Que não é preciso matéria ou fato
vê que um gesto diz mais que um ato
conhece que o amor não é ensaiado
Reflita-se em você - para sempre,
a eterna saudade que guardo.

Autora: Bruna Longobucco

Um comentário:

  1. Uma bela lembrança. Ler seu poema é encontrar e resgatar em nós mesmos os momentos que a vida sublinhou como tão importantes e inesquecíveis. É um escrever sem pesar a pena... O pensamento se dilui pleno em palavras que despertam nossas mentes. Com "A lembrança" o presente é um permanecer no "Sempre".
    Beijos escritora.
    Gostei muito do seu trabalho. Volto para ler um por um e comentá-los.
    Bruno Resende Ramos

    ResponderExcluir

Comente aqui, vou adorar trocar opinião!