Meus livros!

11 fevereiro 2010

Só para peixes...



A tartaruga deixou a lagoa em depressão. Havia sido excluída, sentia-se diminuta, impotente. O aviso que leu era bem claro: Aqui só entra peixe!
Ao chegar à lagoa, pensou estar no lugar certo. O clima era agradável, havia uma diversidade de seres surpreendente e a vista das margens era incrível.
Não se mudou por vontade, foi levada por mãos humanas. No entanto, se num primeiro contato com o ambiente a recepção foi excitante, agora estava profundamente só.
Ouviu então a voz do cágado que emergia cantarolando – Deixou-me tão repentinamente que não compreendi. O que faz aqui fora? Não se sente bem?
- Me fez mal ler aquele aviso. Acaso não se sente excluído?
- Ah, sim... houve um tempo em que me senti. Depois, com a maturidade, finalmente entendi. Eu me sentia excluído, então, o problema era meu.
- O quê?!
- E não é? De que adianta lamentar o acesso proibido? De certo a Boate Portal dos Peixes deve ser o máximo, mas o Recanto dos Outros não fica atrás.
- Recanto dos Outros... Que lugar é esse?
- Venha comigo.
E, mergulharam os dois lado a lado, realizando o curioso percurso em poucos instantes. Enfim, o cágado afastou alguns cipós. Numa entrada inesperada, surgiu um lindo letreiro multicolorido – Bem-vindo ao Recanto dos Outros! Só para quem não é peixe...
A tartaruga sorriu e o cágado, orgulhoso, afirmou – Sou um dos fundadores deste fantástico centro de diversão. Somos manchete do pântano há dois anos. Descobri que só porque não fazemos parte de um determinado grupo, não quer dizer que não podemos criar nosso próprio espaço.

Ser ou não feliz, está no modo como interpretamos certas restrições e superamos o que, num primeiro momento, nos impede de chegar onde queremos estar. O não também tem dois lados. Dependendo do modo como o encaramos, pode ser a chave para o sucesso.

4 comentários:

  1. "Descobri que só porque não fazemos parte de um determinado grupo, não quer dizer que não podemos criar nosso próprio espaço." Aêee! Antes de buscar a aceitação dos outros, precisamos nos aceitar e assumir. Amei a fábula!

    ResponderExcluir
  2. verdade mesmo!!!!!
    bela escrita e cheia de reflexões,adorei...
    Beijos!

    Um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  3. adoreiiii... principalmente o final...

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Reflexão mais do que sábia, necessária na prática em nosso cotidiano; tem de ir além da fascinação e do "toque" que sentimos quando tomamos consciência de que o melhor é, urgentemente, nos irmanarmos, entendendo que vivemos na multiplicidade, uma costura sutil de unidade precisando essencialmente das partes do Todo. Belíssima fábula. Adorei.

    ResponderExcluir

Comente aqui, vou adorar trocar opinião!