Meus livros!

11 março 2010

Brincadeira Literária



Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice, 1813)

Bom, aqui estou eu para falar do meu primeiro clássico. Texto em português de Paulo Mendes Campos, recontado da obra original pelas “Edições de Ouro” em 1970 (capa abaixo). Li o romance pela primeira vez aos oito anos de idade. Desde então, não parei mais. Tornou-se o número um em minha vida e adquiri várias edições ao longo do tempo.
Trata-se da obra-prima de Jane Austen. A inesquecível história de amor de Elizabeth (Lizzie) e o Sr. Darcy. A trama se passa no final do século XVIII, na Inglaterra. As irmãs Bennet, Elizabeth, Jane, Lydia, Mary e Kitty, foram criadas por uma mãe fútil e obcecada em encontrar genros que assegurassem o futuro das filhas.
Quando o sr. Bingley, um solteiro rico, ocupa a mansão vizinha, mãe Bennet entra em alvoroço. E mais, com a chegada de jovens oficiais à vila, pretendentes é o que não faltam às cinco irmãs. A mais velha, Jane, tranquila e muito bonita, parece inclinada a ganhar o coração do sr. Bingley; mas quando Lizzie conhece o bonito e “arrogante” Sr. Darcy, a história produz faíscas, já que ele encontra uma oponente a altura.
Elizabeth é a personagem marcante da autora (e minha predileta). Inteligente e irônica, usufrui da predileção do pai e tem uma perspectiva mais abrangente do que as irmãs, até mesmo do que a doce Jane. Já o Sr. Darcy, é um homem que traça um novo caminho quando Lizzie passa a ocupar sua atenção e seu coração.
Os dois representam mesmo "orgulho e preconceito" e tentam - inutilmente - resistir ao que sentem.



A contracapa de outra de minhas edições:
"Em Orgulho e Preconceito Jane Austen pintou um quadro notável da vida provincial inglesa. Seu olhar lúcido não deixou escapar nada, nenhuma fraqueza ou presunção dessa gente que ela conhecia tão bem. A mediocridade das atitudes, o ridículo dos hábitos, a vaidade e tolice que separavam esses aspectos ela retratou com maestria. Figura exponencial da literatura inglesa, Jane Austen é considerada um dos principais elementos criadores do romance inglês. Seus livros atravessam os anos com assombrosa vitalidade, e, as sucessivas reedições em todo o mundo são a melhor prova disso." Austen, Jane. Tradução de Lúcio Cardoso. Orgulho e Preconceito. 2.ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996 (Clássicos de bolso).

Para quem quer assistir a história, recomendo a versão da BBC de Londres, de 1995. Na minha opinião é a melhor, com Colin Firth e Jennifer Ehle nos papéis principais.


Quero agradecer a Náh, do blog "Ler, Dormir, Comer..." pela oportunidade de participar da "Brincadeira Literária" e parabenizar sua iniciativa!

4 comentários:

  1. OLá, Bruna! Acredita que eu nunca li Orgulho e Preconceito? Humpt!
    Enfim... Acabei de postar a lista de resenha das participantes... Depois passa lá e confira!
    Adorei sua resenha... Obrigada pela participação e pelo carinho, viu?
    Vou conferir o blog do seu novo romance "Centúrias"... Adorei o trechinho que você postou aqui outro dia...
    Estou louca para ler!!!!!!
    Beijos,
    NÁH

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é realmente um clássico que toda mulher deveria ler. Eu me lembro exatamente quando o comprei. Estava visitando a bienal com meu irmão e meu namorado, e havia acabado de voltar dos EUA (intercâmbio). Achei o livro numa pilha por 5 reais, e estava em inglês. Decidi que queria ler Jane Austen no original, e realmente, consegui mas com o inglês bem clássico lembro que a primeira vez foi uma batalha. Depois que meu vocabulário em inglês aumentou ainda mais eu o reli e apreciei ainda mais!

    ResponderExcluir
  3. oi amore para retribuir o carinho ofereço-o de volta para ti seu blog e lindo amo de paixão...

    do blog borboletas no jardim

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Acabei de conhecê-la, por um e-mail a mim enviado, sobre revisão Literária, ao qual agradeço, imensamente. Vim conhecer teu Blog e encantei-me. Já te linkei. Parabéns pelo belo trabalho. Grande abraço, Milla

    ResponderExcluir

Comente aqui, vou adorar trocar opinião!