Meus livros!

06 março 2010

Publicar um livro...



Quando um autor inicia sua carreira literária, experimenta uma sensação de busca e ao mesmo tempo, descaminho. Para alguns, a minoria dos novos artistas e, maioria dos que chegam a algum lugar, sempre existe alguém que possa facilitar a entrada no mundo editorial; e não necessariamente se leva em conta a qualidade ou conteúdo dos textos, às vezes é a simples menção de um nome e o que ele fala àquela realidade. Para outros, que não têm a quem recorrer, o caminho é longo e sinuoso. Empreende-se muito e o retorno é quase invisível (e não se trata de retorno financeiro, porque a princípio, em regra, ele não existe e o que se busca é divulgar o trabalho). Entre os inúmeros desafios, destacam-se as dificuldades para se obter um contrato de edição e os altos custos que demanda uma publicação independente.
Porém, embora tudo pareça inviável, o desejo de ser lido não conhece dimensões. Além disso, chega um tempo em que as obras já não se contentam em viver silentes e falam por si mesmas.
É uma voz incessante, intensa; o som de frases filosóficas, apaixonadas, realistas ou simplesmente frases, com histórias que nascem interiormente e buscam títulos e personalidades marcantes. Não é propriamente uma pretensão de fama, mas de ter algo a mostrar, a ser dito. E também de rebeldia diante das portas fechadas. E é assim que os textos ganham a esquina. Pode ser numa impressão simples ou mesmo sofisticada. Pode ser ainda na versão virtual.(Trecho do meu TCC).


Quando reviso livros para autores independentes, a sensação é a de que estou revisando um sonho, porque investir num livro requer coragem, esforço e autoconfiança. A partir daquele momento, a história se despede do arquivo digital – ou da gaveta - e se torna pública (ainda que não ultrapasse cinco ou dez leitores, infelizmente, isso acontece). Sabemos que no Brasil não é fácil bancar a edição de um livro, não é mesmo?
Os custos são altos. Se o exemplar não pertence a uma editora de renome, não ocupa um lugar nas “gôndolas” ou estantes das livrarias. Sem publicidade, fica difícil alcançar o leitor. Eu posso dizer por experiência própria.
Depois de muito refletir, decidi bancar minha primeira publicação. Passei meses e meses debruçada sobre o projeto. Então, oba! Consegui concretizá-lo e deixei meus livros em uma charmosa livraria de Belo Horizonte. Nossa, como eu estava ansiosa! Meu lançamento lotou, o que me deixou surpresa e feliz. Parecia um começo promissor. Alguns dias depois, amigos que não compareceram à “noite de autógrafos” foram até essa mesma livraria para comprar o livro e o vendedor não encontrou nenhum exemplar. Provavelmente, estavam empilhados no fundo de um armário qualquer, já que me devolveram depois.
Na época, eu questionava o porquê de tanta dificuldade. Fiquei dividida. Não sabia se valia a pena insistir ou se o melhor mesmo era desistir e confinar meus textos ao computador. Depois de um tempo, deixei de lado as reflexões. Fui publicando por conta própria e vendendo sob demanda, no boca-a-boca.
Estava cansada de enviar originais para avaliação, originais que retornavam intactos para as minhas mãos. Dos que não voltaram, nem obtive resposta que, diga-se de passagem, consistia em cartinhas padronizadas. Cheguei a receber uma delas recusando o original de outro autor.
Entendo que originais se acumulam em uma editora. São muitos autores, gêneros , ideias, divagações. Como revisora de textos, sei que muitos escrevem por escrever, não têm o menor cuidado com a redação, não verificam os dados que mencionam e acabam por comprometer títulos que teriam, sim, alguma chance de sucesso. Mas também entendo que faltam oportunidades para os novos talentos. A lei de incentivo a cultura não alcança a maioria dos iniciantes. Já vi autores com dificuldades de preencher o formulário e, imaginem, editoras cobrando cinco mil reais para elaborar um projeto. Existem pessoas - físicas e jurídicas - que se aproveitam do patrocínio cultural para obter vantagens.
Assim, cheguei à conclusão de que não adiantava pontuar as limitações.
Hoje eu costumo repetir para mim mesma: escrevo porque não saberia viver sem escrever. Isso basta. Não espero que meu livro seja "encapado" por uma grande editora e se torne um best-seller, mas fico feliz por poder, independentemente, levar meu trabalho a pessoas que o apreciam.
Se publicar um livro é algo com que vem sonhando desde a infância, não adianta reclamar, chorar ou rasgar seus textos. Mãos à obra! O importante é fazer o seu melhor e acreditar no que faz. Se quer um conselho, não se esqueça da revisão, nem de resguardar seus direitos autorais. Tenha em mente que promover o seu trabalho exige paciência, dedicação, investimento. Nesse aspecto, a internet é uma ferramenta e tanto. Em 2009 eu me surpreendi ao ver a quantidade de blogs divulgando novos autores nacionais. Parabéns a todos pela iniciativa. Existem resenhas por aí dignas de nota. Aguçam a nossa curiosidade de leitor, promovem a literatura contemporânea e tocam profundamente o coração de um escritor.


9 comentários:

  1. brunaaaaa... um dia seu talento será reconhecido...

    perceberam que há tantos talentos nacionais a serem investidos...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por seguir o meu blog

    Que Deus te abençoe.

    ESTOU SEGUINDO O SEU BLOG.

    Link: "http://aureliomcgomes.blogspot.com/"

    Que Deus te abençoe.

    Seja bem vindo ao "Blog Eu Sou o Mensageiro!",
    volte sempre que quiser.
    Espero te receber lá mais vezes

    Amo ler seus comentários e tenho prazer em responde-los

    "clique aqui http://aureliomcgomes.blogspot.com/"

    Fique na paz do Senhor
    Será um prazer ler seus comentários,
    Faça um Blogueiro mais feliz, COMENTE!

    Atenciosamente,
    "Aurelio MC Gomes - Blog Eu Sou o Mensageiro!"

    ResponderExcluir
  3. Olá Bruna,nossa como eu fiquei encantada com esse post!porque é pura verdade tudo o que dissestes,é muito difícil publicar um livro no brasil,e digo como uma leitora voraz,que conheci autores e autoras maravilhosas como você que escrevem maravilhosamente bem ,e muitas das vezes o leitor costumeiro prefere ler um livro não divulgado e não resenhado lançamento só porque é um autor de best-seller e jamais se aventura num livro nacional,que na minha opinião,é sem dúvida primordial se ler um para se conhecer a nossa tão vasta e deliciosa literatura!
    Bruna,parabéns pelo post e pela iniciativa em falar sobre este assunto!Divulguemos um autor nacional!!!

    Não esquece de pegar seu seo no meu blog,beijosssss!

    Muito Sucesso!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruna
    Gostei deste Post!

    Blog muito Bom!
    Continue assim!

    =)

    Visitem, comentem, sigam e aproveitem o meu blog:
    http://malucosdaleitura.blogspot.com/
    ...
    ♥ ... Bem sei que me AdoraM ...♥
    ...
    Bj

    ResponderExcluir
  5. Oi, Bruna!

    Você com certeza deve lembrar do plagio que aconteceu com a nossa amiga do "Nossos Romances", né?
    Um conhecida minha me passou um site contra-plagios, em que você pode ver se tem alguém copiando seus posts. Achei muito útil, por isso decidi passar para você também.

    Melhor prevenir que remediar, certo?

    http://www.copyscape.com/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo seu post. ´É, vida de escritor(a), no Brasil, não é mole não! Tem que ter muita fibra...e isso vc já mostrou que tem!
    Amanhã tem homenagem nos meus 3 blogs pelo Dia Internacional da Mulher. Te espero...
    bjus
    Marineide

    ResponderExcluir
  7. Ten um selinho para você

    Dia Internacional Da Mulher - Para vocês mulheres

    PARABÉNS MULHER !!!

    link: http://aureliomcgomes.blogspot.com/2010/03/dia-internacional-da-mulher-para-voces.html

    "ou clique aqui -> Post - Dia Internacional Da Mulher - Para vocês mulheres"

    Amo ler seus comentários e tenho prazer em responde-los

    "clique aqui http://aureliomcgomes.blogspot.com/"

    Fique na paz do Senhor
    Será um prazer ler seus comentários,
    Faça um Blogueiro mais feliz, COMENTE!

    Atenciosamente,
    "Aurelio MC Gomes - Blog Eu Sou o Mensageiro!"

    ResponderExcluir
  8. Com que propriedade vc escreve, Bruna!!
    Mencionou o trecho de seu tcc.. o que vc cursou?

    Sabe, me senti destro de tua pele com tudo que escreveu nesse post.. assim tmb tem sido minha jornada...
    NADA fácil.. em todos os aspectos possíveis...
    mas com a perseverança a gente sempre chega a algum lugar..

    beijinhos
    Aline

    ResponderExcluir
  9. Os outros ai em cima tem razão. Eu também sou um escritor, acabo de lançar um livro por uma editora virtual e seu post fala a verdade.
    Fico imaginando porque as editoras brasileiras dão tanta credibilidade a escritores estrangeiros sendo que aqui mesmo no Brasil existem escritores tão bons quanto os de fora. Bem, eu apoio essa sua idéia.

    Espero comentar mais os seus post.

    http://brumasdemidgard.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Comente aqui, vou adorar trocar opinião!