Meus livros!

28 fevereiro 2012

TEMPESTADE

Quando tudo perde o sentido e o passado se torna melhor que o presente alguma coisa vai mal.
Quando o horizonte se nubla diante de nossos olhos marejados e não conseguimos visualizar o dia de sol que se esconde atrás da tempestade, modifica-se a noção de SER e de espaço.
Agora, o que espero ardentemente é que a tormenta se vá e eu possa reconstruir as partes perdidas do meu quebra-cabeça.
Sabemos que errar é parte da natureza humana, mas nossos erros doem tanto. Tanto que tendemos a ser negativos diante das situações... um algo efêmero que por instantes dura uma eternidade.
Eu me pergunto o motivo. Tenho me perguntado a razão dos passos em falso que dei e dou faz tempos.

E, confesso, tenho me culpado pelas coisas que fiz e as que não fiz.

Queria fechar a porta e voltar no tempo. Sair do meu quarto escuro e confuso. Confusão que armei com minha capacidade racional de criar situações difíceis.

Ah, por favor, que eu não seja caos por muito tempo ainda!
Que as nuvens deixem lugar para o sol e, principalmente, que um dia eu possa sorrir ao me lembrar de hoje. Sorriso de superação.


2 comentários:

  1. Amiga, meu avô falava uma coisa muito certa: "não há bem que nunca se acabe, não há mal que sempre perdure!" O sol vai brilhar amanhã, na janela do seu quarto! Beijos, Adriana

    ResponderExcluir
  2. Não sei que turbilhão ebuli dentro de vc. As palavras são comoventes e lindas, como sempre, mas tenha em mente nunca perder a fé nata que em ti há. Tudo se reorganiza, assim! =]

    ResponderExcluir

Comente aqui, vou adorar trocar opinião!